Muriaé Céu nublado com chuva leve
Max 32º
Min  21º
Facebook expandirá inteligência artificial para ajudar a prevenir suicídio no Brasil
DIRETO DA REDAÇÃO | 28/11/2017 « Voltar

Facebook expandirá inteligência artificial para ajudar a prevenir suicídio no Brasil


O Facebook expandirá para outros países seu software de reconhecimento de padrões que detecta usuários com intenção suicida, após testes bem-sucedidos nos Estados Unidos. A novidade também chega ao Brasil. 
 
A empresa começou a testar o software em março, quando o Facebook começou a analisar o texto de publicações e comentários na rede social para identificar frases que poderiam sinalizar um iminente suicídio. 
No anúncio da expansão, feita nesta segunda-feira, o Facebook não revelou muitos detalhes técnicos do programa. Mas, segundo a companhia, o software busca certas frases que podem ser indícios, como as perguntas "Você está bem?" e "Posso ajudar?". 
 
Se houver um potencial suicídio, o que ocorre é o seguinte: 
o programa alerta um time de funcionários do Facebook especializados em lidar com tais situações;
o sistema sugere recursos para o usuário ou para amigos da pessoa, como uma linha de ajuda por telefone;
os funcionários da rede social às vezes chamam as autoridades locais para intervir.
 
Guy Rosen, vice-presidente de gerenciamento de produtos do Facebook, afirmou, em nota, que a empresa começou implementar o software fora dos EUA, porque os testes foram bem-sucedidos. Durante o último mês, as equipes especializadas falaram com mais de 100 vezes pessoas após o software ter detectado intenções suicidas. 
O Facebook informou que tenta destacar funcionários especializados para contactar as autoridades no idioma local a qualquer hora. "A velocidade realmente importa. Temos que ajudar as pessoas em tempo real", disse Rosen. 
 
No ano passado, quando o Facebook lançou transmissão de vídeo ao vivo, vídeos de atos violentos, incluindo suicídios e assassinatos, proliferaram, apresentando uma ameaça à imagem da empresa. Em maio, a rede social disse que contrataria mais 3 mil pessoas para monitorar vídeos e outros conteúdos. 
 


Fonte : G1




COMENTAR
Não use palavras ofensivas ou “palavrões”, calúnias, difamações ou ataques pessoais a honra de alguém: O uso destas palavras agressivas e vexatórias é expressamente proibido neste site. Ao conteúdo deste jeito, o seu comentário será recusado e excluído.

Nome:
E-mail:
Cidade:
UF:
Comentário:


    











PUBLICIDADES