Muriaé Céu nublado com chuvaMax 24º
Min  17º
JORNALISMO | 24/05/2019 « Voltar

Hospital do Câncer de Muriaé realiza pela primeira vez a captação de órgãos múltiplos para doação

Hospital do Câncer de Muriaé realiza pela primeira vez a captação de órgãos múltiplos para doação
(Fotos: Fundação Cristiano Varella) Equipe responsável pelo transplante



No dia 22 de maio, equipes da Santa Casa de Juiz de Fora e do Hospital das Clínicas de Belo Horizonte, estiveram no Hospital do Câncer de Muriaé da Fundação Cristiano Varella para uma captação de órgãos. A retirada dos órgãos foi realizada no centro cirúrgico por equipes treinadas e capacitadas especificamente para esse tipo de procedimento cirúrgico. O doador é um homem de 45 anos que sempre manifestou o desejo dessa boa ação, estava internado desde o dia 08 de maio e teve o protocolo de morte encefálica encerrado.


Foram captados os rins, fígado, córneas e o coração. A equipe Juiz de Fora, composta pelo diretor do serviço de transplante da Santa Casa, Dr. Gláucio Souza, pela médica Dra. Pâmela Goretti, pela enfermeira Eliene Ribas e pela técnica de enfermagem Elena Bretas do banco de olhos do Hospital Regional João Penido, transportaram os rins, as córneas e o fígado.

Já o coração seguiu para Belo Horizonte no Hospital das Clínicas com o cirurgião cardíaco Dr. Raynold Monteiro, Dr. Túlio De Battisti e a enfermeira Bianca Santiago.

Esta é a primeira captação de múltiplos órgãos realizada no Hospital do Câncer de Muriaé. O diretor da instituição, Sérgio Henriques, elogiou a atitude dos familiares manifestando solidariedade neste momento de dor. "Infelizmente nos despedimos de uma vida, mas outras serão salvas por este gesto de amor e generosidade", disse Sérgio.
 

A captação de órgãos acontece somente após constatação de morte encefálica, ou seja, quando há completa e irreversível para de todas as funções do cérebro. Esse diagnóstico é realizado por uma equipe profissional por meio de exames de imagem, exames clínicos e exames laboratoriais. Após a confirmação da morte encefálica, a família é comunicada sobre a situação irreversível e decide sobre a doação dos órgãos de seu ente querido.

A doação de órgãos é gratuita e de livre decisão do doador ou familiar responsável em caso de doação pós-morte. Em hipótese alguma esse processo pode envolver negociação comercial ou influência econômica, isso é crime.



Fonte : Rádio Muriaé / Fundação Cristiano Varella




COMENTAR
Não use palavras ofensivas ou “palavrões”, calúnias, difamações ou ataques pessoais a honra de alguém: O uso destas palavras agressivas e vexatórias é expressamente proibido neste site. Ao conteúdo deste jeito, o seu comentário será recusado e excluído.

Nome:
E-mail:
Cidade:
UF:
Comentário:


    











PUBLICIDADES