Muriaé Intervalos nubladoMax 29º
Min  17º
COVID-19 | 06/04/2021 « Voltar

Hospital São Paulo recebe medicamentos utilizados na intubação de pacientes com Covid, mas segue com estoque baixo

Os kits vieram do Governo do Estado e abastecerão o estoque nos próximos dias

Hospital São Paulo recebe medicamentos utilizados na intubação de pacientes com Covid, mas segue com estoque baixo
(Foto: Arquivo Rádio Muriaé)

O Hospital São Paulo recebeu recentemente 35 frascos de do medicamento Dexmedetomidina, um medicamento indicado para sedação em pacientes com e sem ventilação mecânica durante o tratamento intensivo na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), salas de cirurgia ou para procedimentos diagnósticos.

Além do HSP de Muriaé, outros hospitais da zona da mata que tiveram um aumento significativo no consumo desses medicamentos, também receberam o medicamento.

O departamento de jornalismo da Rádio Muriaé entrou em contato com o HSP e de acordo com o setor responsável pelo controle desses medicamentos, até o presente momento, a instituição não teve seu estoque zerado, mas segue com poucas unidades disponíveis.

Para evitar que os medicamentos se esgotem, uma série de estratégias foram adotadas, como o cancelamento de cirurgias eletivas, o monitoramento diário e a compra passou para semanal e não quinzenal, como era antes. “Apesar de não termos passado pela falta absoluta de insumos, ou seja, estoque zerado, houve momentos em que o estoque disponível era suficiente para atender a demanda de poucos dias”, destacou a farmacêutica Ana Luiza Corrêa.

O hospital informou também que desde o início da pandemia, os medicamentos e insumos tiveram um aumento de mais de 1000% no seu custo, o que dificultou ainda mais as compras.

Os insumos são adquiridos de fornecedores e distribuidoras cadastrados em uma plataforma de compras. A compra de medicamentos é realizada por um comprador e acompanhada por um farmacêutico. Atualmente a compra desses insumos está sendo acompanhada por uma equipe composta por pessoas estratégicas como médicos, gestores e enfermeiros. A equipe é comunicada em tempo real sobre o custo, o preço das ultimas três compras, a quantidade disponível do item no estoque, o consumo médio mensal dos últimos dois meses, para auxiliar nas decisões de fechamento do pedido de compra.

A instituição informou que a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) acompanha todo o processo de entrada e saída de estoque. Desde agosto de 2020 o estado emite um link e envia uma planilha por e-mail para preenchimento e o monitoramento dos medicamentos que fazem parte do “kit de intubação”. O preenchimento é feito semanalmente. Nesse monitoramento são preenchidas informações referentes ao consumo médio e estoque do hospital.  

Confira quais os hospitais da zona da mata receberam os kits:

  • Hospital São João Batista - Viçosa
  • Hospital Casa de Caridade Leopoldinense - Leopoldina
  • Hospital Ana Nery - Juiz de Fora
  • Hospital Monte Sinai - Juiz de Fora
  • Hospital e Maternidade Therezinha de Jesus - Juiz de Fora
  • Hospital de Misericórdia de Santos Dumont - Santos Dumont
  • Hospital São Salvador - Além Paraíba
  • Hospital Evangélico de Carangola - Carangola
  • Hospital São Paulo - Muriaé
  • Hospital Santa Isabel - Ubá
  • Hospital São João Batista - Visconde do Rio Branco

 



Fonte : Rádio Muriaé




COMENTAR
Não use palavras ofensivas ou “palavrões”, calúnias, difamações ou ataques pessoais a honra de alguém: O uso destas palavras agressivas e vexatórias é expressamente proibido neste site. Ao conteúdo deste jeito, o seu comentário será recusado e excluído.

Nome:
E-mail:
Cidade:
UF:
Comentário:


    












PUBLICIDADES