Muriaé Céu nublado com chuvaMax 24º
Min  13º
POLÍCIA | 22/06/2021 « Voltar

Polícia Civil detalha homicídio ocorrido na Barra e aponta policial militar como principal suspeito




Polícia Civil detalha homicídio ocorrido na Barra e aponta policial militar como principal suspeito
Participaram da coletiva os delegados Gleydson Ferreira, Tayrony Espindola, Alessandro Da Matta e Major Wesley

A Polícia Civil realizou uma coletiva de imprensa na tarde desta terça-feira (22) para dar mais detalhes sobre a prisão do policial militar, 2º Sargento, lotado no 47º Batalhão em Muriaé.

Ele é o principal suspeito de atirar por quatro vezes em  sua prima, Nayara Andrade Rocha de 34 anos, dentro do Salão de Beleza onde trabalhava, na Belisário, no bairro Barra, ocorrido no dia 01 de junho. Quatro dias depois, já internada no Hospital São Paulo, ela não resistiu aos ferimentos e faleceu.

Durante a coletiva, os delegados Alessandro da Matta, Gleydson Ferreira e Tayrony Espindola detalharam toda a investigação que levou até o nome do policial militar apontado como principal suspeito.

De acordo com os delegados, a investigação iniciou após os disparos, ainda no local do crime. Tudo indica que o homicídio foi para o suspeito receber uma apólice de seguro feita no nome da vítima pelo próprio PM.

Segundo informações, o militar receberia cerca de R$ 22 milhões com a morte da vítima. A seguradora confirmou que o seguro foi feito pelo suspeito.

Andamento das investigações

Os investigadores conseguiram localizar o carro em Viçosa e a partir daí, constaram que o militar realizou a locação. No dia 30 de maio, um dia antes do crime, a moto usada pelo militar estava em Viçosa. O veículo foi apreendido no dia 08 de junho.

Segundo os delegados, imagens próximo a sua residência foram analisadas e constatado que no dia do crime, o suspeito saiu com a mesma roupa utilizada no crime.

Tentativa de sabotagem nas investigações

Os delegados também afirmaram que por algumas vezes, o militar tentou sabotar as investigações. No dia do crime, por volta das 7h30, ele chegou a passar uma informação falsa para um de seus superiores, dizendo que um foragido de alta periculosidade estaria em Capetinga. A intenção era distrair os militares até a comunidade para facilitar sua fuga.

Assim que ficou sabendo que o celular da vítima conseguiu ter seus dados recuperados, ele chegou a pedir o aparelho aos delegados para entregar à família.

Confiança extrema no suspeito

 Além de ser próximo da família, o sargento era uma das pessoas de confiança da vítima. Por ser policial militar, por diversas vezes ele atuava como um despachante da família. E foi através desta confiança que a vítima assinou toda a documentação das apólices de seguros que foram pagas pelo próprio militar.

A prisão

Após todos os desdobramentos investigativos, o PM foi localizado e preso pela Polícia Civil na região central de Muriaé. Ele não reagiu a prisão e colaborou com os procedimentos.

Dentro da mochila que ele usava, havia outra mochila com as mesmas características usadas no dia do crime.

Em seguida, a PC realizou uma busca em sua residência e apreendeu dezenas de materiais que poderão servir como provas no crime.

Ele foi levado para a 4ª Delegacia de Polícia Civil no bairro Safira e a todo o momento usou o seu direito de permanecer calado. Na mesma noite, o sargento foi transferido para o Presídio Militar, localizado em Ubá.

Repúdio da Polícia Militar de MG

Participou da coletiva de imprensa o major Wesley, comandante da PM de Carangola, substituindo o tenente Cel Márcio Roberto e Major Sandro que estão em viagem.

O major repudiou a atitude do militar e disse que o sargento foi imediatamente afastado para o andamento das investigações.

A princípio ele permanecerá preso por 30 dias, podendo ser estendida, caso a justiça entenda que seja necessário o suspeito permanecer por mais tempo detido.

“Não estamos satisfeitos de ver um companheiro de segurança pública na trama deste homicídio, mas devemos colocar nosso comprometimento e profissionalismo com a sociedade”, destacou o delegado Tayrony Espindola.

A Delegacia de Homicídio e Protação à Pessoa (DHPP) informou que continuará investigando o caso e não descarta a participação de outras pessoas. 



Fonte : Rádio Muriaé




COMENTÁRIOS 13


Eloisio
Postado no dia 23/06/2021 - 08:24 Cidade: Patrocínio do Muriaé - MG
» Eita Brasil que não toma jeito!! Se expõe nome completo da vítima e guarda o anonimato do sargento criminoso.


Gabriel Souza
Postado no dia 22/06/2021 - 20:26 Cidade: Muriaé - MG
» PM burro. Acha que seguradora deixaria tudo à vontade e iria pagando essas apólices fácil, sem investigar. Agora a ganância o fez perder até o bom emprego.


Moradora
Postado no dia 22/06/2021 - 23:00 Cidade: Muriae - MG
» Meu Deus que nosso Deus proteja a nossa. PM. Sem comentario muita tristesa


Cidadão
Postado no dia 23/06/2021 - 08:22 Cidade: Muriaé - MG
» Porque não disseram o nome do assassino? A sociedade gostaria dessa resposta!


Eloisio
Postado no dia 23/06/2021 - 08:15 Cidade: Patrocínio do Muriaé - MG
» Eita Brasil que não toma jeito! O nome da vítima é exposto completo e a idade e o do sargento criminoso é protegido com total sigilo.


CIDADÃO PATROCINENSE
Postado no dia 23/06/2021 - 07:33 Cidade: Patrocínio do Muriaé - MG
» Nem um pedido de desculpas á sociedade, sr. Major você pediu...


VERDADEIRO
Postado no dia 23/06/2021 - 07:29 Cidade: Muriaé - MG
» Agora entendi porque Tiradentes (Patrono da PMMG), aparece nas mangas das fardas da PMMG cabeludo e barbudo. É de desgosto e vergonha de ver PM's da PM mineira agindo assim!. Quem era para defender a sociedade do crime, acaba participando dele!.


VERDADEIRO
Postado no dia 23/06/2021 - 07:26 Cidade: Muriaé - MG
» Uma simples pergunta que faço: Será que esse criminoso vestindo o uniforme da PMMG depois de ir para a cadeia e cumprir todas as punições administrativas e disciplinares será que ainda volta para as fileiras da PMMG?. Será?. Isso aí caberia é ser EXPULSO da corporação!. É o mínimo que se pode fazer!. Mas no Brasil sabe como é as leis, né?. Para uns até o boi dá leite, para outros nem a vaca...


JJ DO 232
Postado no dia 22/06/2021 - 15:52 Cidade: Muriaé - Minas Gerais
» Matou gente do mesmo sangue, o que esse assassino não é capaz de fazer em ? Um monstro!


VERDADEIRO
Postado no dia 22/06/2021 - 16:40 Cidade: Muriaé - MG
» Parabéns ao empenho da Polícia Civil de Muriaé nas investigações!. Parabéns aos investigadores e delegados envolvidos!. Um indivíduo como esse (policial militar) que ao invés de proteger a sociedade dos crimes, participa e contribui para esses delitos!. Para nós, uma vergonha em saber que um agente de segurança pública contribua para isso. Em quem podemos confiar?. Um sujeito igual esse é um bandido "usando o uniforme da Policia Militar de Minas Gerais por sua vez ao invés de afastá-lo de suas funções e prendê-lo tinha é que expulsar esse elemento das suas fileiras. Isso é uma vergonha para a sociedade, mancha a própria PMMG. O mínimo é que possa fazer é expulsa-lo da corporação!. Repudio com veemência o ocorrido!. VERGONHA PARA A SOCIEDADE E PARA A CORPORAÇÃO!.


MIRTIN
Postado no dia 23/06/2021 - 09:25 Cidade: Muriaé - Mg
» Excelente trabalho de toda equipe parabéns a todos.


VERDADEIRO
Postado no dia 23/06/2021 - 12:00 Cidade: Muriaé - MG
» Um fato curioso: Porque quando prenderam na Espanha o Sargento da Aeronáutica por tráfico de drogas, a mídia colocou e divulgou a foto dele na imprensa, sendo ele um membro da Força Aérea Brasileira, agente das Forças Armadas e desse policial militar a imprensa não falou de quem se trata e nem divulgou a foto dele?. Não dá para entender...


Lusíada
Postado no dia 23/06/2021 - 14:24 Cidade: Luzes - AA
» Inacreditável.

COMENTAR
Não use palavras ofensivas ou “palavrões”, calúnias, difamações ou ataques pessoais a honra de alguém: O uso destas palavras agressivas e vexatórias é expressamente proibido neste site. Ao conteúdo deste jeito, o seu comentário será recusado e excluído.

Nome:
E-mail:
Cidade:
UF:
Comentário:


    












PUBLICIDADES