Prefeitos das cidades da Amerp e Cimerp unidos em busca de reivindicações justas junto ao Governo Federal. Atividades voltaram nesta quinta-feira (31).

Nesta quarta-feira (30), a grande maioria das 27 prefeituras que compõem a Amerp (Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Pomba) e a Cimerp (Consórcio Intermunicipal Multifinalitário dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Pomba) anunciaram a paralisação de suas atividades administrativas em uma demonstração conjunta de protesto. Esta medida foi tomada em adesão ao movimento recomendado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) e pela Associação Mineira dos Municípios (AMM), como forma de lutar por recursos mais justos e estáveis para as cidades.

Reunidos na terça-feira (29) na sede das duas organizações, os prefeitos da Amerp e Cimerp, tanto os presentes quanto aqueles que manifestaram apoio à distância, decidiram não apenas manter os serviços essenciais funcionando, mas também suspender as atividades administrativas. Além disso, foi acordado que se organizarão para uma visita à Brasília, em data a ser definida, com o objetivo de levar diretamente ao Governo Federal suas reivindicações, buscando soluções efetivas para os desafios financeiros que enfrentam.

A situação que tem gerado crescente insatisfação entre os gestores executivos municipais nos últimos meses são as quedas nos recursos, especialmente nos repasses provenientes do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Essa crise financeira tem levado à redução dos serviços oferecidos à população, impactando obras públicas e até mesmo levando à diminuição do quadro de funcionários, resultando em desemprego e prejuízos, especialmente para os municípios de menor porte.

Paulo Aziz Daher, presidente da Amerp e Cimerp, que também ocupa o cargo de prefeito em Patrocínio do Muriaé, ressaltou a importância do apoio ao movimento, destacando que ele reflete os anseios dos prefeitos e das comunidades locais. Esse apoio se faz particularmente significativo para as cidades de pequeno e médio porte, que dependem do FPM como fonte essencial de financiamento para a gestão pública, capaz de atender às necessidades da população e fomentar o desenvolvimento nas esferas econômica e social.

O movimento conjunto da Amerp e Cimerp é parte de um cenário nacional, no qual milhares de municípios brasileiros também se mobilizam para chamar a atenção do Governo Federal para a urgência da situação.

Nesta quinta-feira (31), todas as prefeituras retornaram com suas atividades normalmente.

Siga a Rádio Muriaé através de nossas redes sociais, clicando nos ícones abaixo: