Iniciativas foram realizadas ao longo do ano junto a lideranças e entidades locais em prol das comunidades da região
Foto: CBA

O Programa Agentes da Cidadania encerrou o ciclo de atividades de 2022 com um balanço positivo. Ao longo do ano, quatro ações foram realizadas nos municípios de Miraí, Muriaé, Rosário da Limeira e São Sebastião da Vargem Alegre, na Zona da Mata Mineira, sobretudo voltadas para a aproximação com as políticas públicas locais.

A iniciativa contempla o Programa Cidadania do Instituto Votorantim, em parceria com a Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), executada pelo Instituto de Governo Aberto e Instituto Cidade Democrática, desde 2021. O programa promove o exercício da cidadania ativa para jovens, por meio do avanço nas dimensões de cultura democrática, participação política e articulação territorial. Em 2022, a iniciativa selecionou 30 jovens, de 16 a 29 anos, que atuaram de junho a dezembro como voluntários, conhecidos como Agentes da Cidadania.

Em Miraí, o programa trabalhou a defesa da causa animal, em 2021, e o resgate da cultura e da memória da região, com oficinas temáticas de arte e poesia, junto a alunos do Ensino Fundamental na cidade em 2022. O foco foi na história do município, que chega ao seu Centenário este ano.

Em Muriaé, o programa realizou oficinas culturais de representatividade racial e LGBTQIAP+.

No município de Rosário da Limeira, o Agentes da Cidadania abordou a temática da juventude política, incentivando a conscientização sobre o processo democrático, os deveres cívicos e as políticas públicas voltadas para as comunidades locais.

Já em São Sebastião da Vargem Alegre, o programa teve foco em questões ambientais, com destaque para o descarte consciente e a separação e reciclagem do lixo doméstico.

O agente Diego Bittencourt de Oliveira, de 19 anos, atuou em Muriaé no desenvolvimento das oficinas de conscientização, as quais impactaram mais de 200 pessoas. “Realizamos oficinas de maneira didática e, para fazer o público refletir um pouco mais, desenvolvemos o jogo do privilégio. Nele, lemos algumas situações que pessoas LGBTQIAP+ e negras lidam constantemente, pedindo que desse um passo à frente quem nunca passou por elas. Foi um momento rico e de muito aprendizado”, ressalta.

Agente do programa em Miraí desde 2021, Ágatta Rodrigues Pereira, de 22 anos, atuou no último ano como mentora dos novos participantes. Ela destaca que as ações impactaram centenas de alunos e professores. “As atividades que desenvolvemos foram voltadas para políticas públicas e consolidação de ações relacionadas à causa animal, incluindo animais domésticos e silvestres. Também trabalhamos com cultura, destacando a memória, o centenário de Miraí, as tradições e os pontos turísticos da cidade. Com formações culturais nas escolas, promovemos desafios e gincanas de arte e poesia, com premiações para as melhores obras, abrangendo mais de 600 estudantes e educadores”, celebra.

O programa

Durante o ano, os participantes receberam atividades online e oficinas formativas, com o objetivo de compartilhar os aprendizados junto às suas comunidades. As oficinas contemplaram rodas de debate e jogos interativos com temáticas de participação social, cidadania, representatividade, identidade e juventude política. Eles também utilizaram e divulgaram um aplicativo de consulta pública para outros agentes e cidadãos, no qual analisam problemas da cidade e desejos de mudança das comunidades locais.

De acordo com Wesley Ferreira, articulador da iniciativa e presidente do Coletivo Diversidade (ONG LGBTQIAP+ de Muriaé), a culminância do programa promoveu um momento de troca de experiências. “Os agentes puderam expor suas dificuldades e desafios, além de detalhar como os projetos e parcerias desenvolvidos puderam beneficiar as suas cidades. Esperamos que essa troca de saberes tenha sido valiosa para alinharmos metas, necessidades e perspectivas para 2023”, celebra.

Para o gerente das Unidades de Mineração da CBA na Zona da Mata Mineira, Christian Fonseca de Andrade, o encerramento de mais um ciclo de ações do Agentes da Cidadania traz benefícios para a região com o empoderamento e a responsabilização dos jovens cidadãos em prol do desenvolvimento de suas comunidades, além de se estabelecer um ambiente de troca de saberes entre as novas lideranças sociais. “Comemoramos mais um ano de fomento ao protagonismo político das juventudes locais por meio da educação em cidadania. Nossa expectativa é seguir apoiando esse trabalho importante, especialmente para atender às necessidades da região onde atuamos”, avalia.

Próximos passos

Em 2023, o Agentes da Cidadania retomará as atividades com a convocação da juventude local para o novo período de inscrições, previsto para o primeiro semestre. Logo após o processo de formação, serão definidos os objetivos para mobilização de outros atores e entidades, para que possam dar suporte aos agentes na realização das propostas.

Para a seleção dos voluntários, o programa conta com o apoio de diversas organizações, coletivos, movimentos, atores políticos e lideranças locais das cidades participantes. Nos próximos ciclos, os jovens realizarão consultas públicas com as comunidades locais, para levantamentos sobre o atual cenário do Brasil e dos municípios da região. A partir disso, serão identificados os problemas e os desejos de mudanças locais, de modo que os agentes possam definir as próximas metas, projetos, oportunidades de parcerias e planos de ações.

Siga a Rádio Muriaé através de nossas redes sociais, clicando nos ícones abaixo: