Realizados em Miraí e Itamarati de Minas com apoio da Defesa Civil, exercícios tiveram como finalidade treinar moradores sobre rotas de fuga e pontos de encontro nas áreas de influência direta das barragens

No compromisso constante com a segurança de suas operações e em conformidade com as regulamentações vigentes, a Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) promoveu, nos dias 19 e 21 de setembro, seus simulados anuais nas cidades de Miraí e Itamarati de Minas, localizadas na Zona da Mata mineira. Em parceria com as Defesas Civis Municipais e outras forças de segurança pública, os exercícios tiveram como principal objetivo fortalecer a cultura de segurança de barragens e orientar a comunidade local sobre os procedimentos a serem adotados em situações de emergência.

Os simulados fazem parte do Plano de Ação de Emergência para Barragens de Mineração (PAEBM) da CBA, conforme estabelecido pela Resolução 95/2021 da Agência Nacional de Mineração (ANM) e pela Lei Estadual 23.291 de 2019. Eles desempenham um papel fundamental na preparação da população que reside na Zona de Autossalvamento (ZAS), a área diretamente influenciada pelas barragens.

Participaram dos exercícios representantes das Defesas Civis Municipais e Estadual, Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Militar, Polícia Militar de Meio Ambiente, equipe da CBA e moradores da ZAS. O gerente das Unidades da CBA na Zona da Mata mineira, Christian Fonseca de Andrade, destacou a importância do envolvimento da comunidade: “O exercício demonstrou que, a partir da realização de simulados anteriores, a população já está familiarizada com as mensagens sonoras emitidas pelas nossas sirenes e conhece as rotas de fuga e os pontos de encontro.”

Em Miraí, 100% das pessoas cadastradas na ZAS participaram do simulado, assim como moradores locais que estavam na região no momento do evento. As rotas de fuga, que incluem 31 Pontos de Encontro, foram percorridas, e as 12 sirenes instaladas foram acionadas. Moradores, como Geraldo Cortes da Silva, da Fazenda Lilica, ressaltaram a importância da participação: “Acho importante participar porque fico diretamente sabendo o trabalho que é realizado na barragem e que não tem risco.”

Em Itamarati de Minas, o simulado também contou com a participação de 100% das pessoas cadastradas na ZAS e moradores locais. As rotas de fuga, com nove Pontos de Encontro, foram percorridas, e as seis sirenes instaladas foram ativadas para a realização do exercício.

Os simulados incluíram o acionamento das sirenes às 10 horas, seguido pelo deslocamento dos participantes até os Pontos de Encontro designados, com sinalizações claras indicando o caminho seguro. Os participantes responderam a pesquisas de avaliação do processo, fornecendo informações cruciais sobre a eficácia do sistema de alerta e a prontidão da comunidade em casos de emergência.

As informações coletadas durante os simulados serão utilizadas para aprimorar continuamente o sistema de gestão de segurança de barragens da CBA. Vale ressaltar que tanto a barragem de Miraí, em operação desde 2008, quanto a de Itamarati de Minas, que operou de 1992 a 2013, estão em conformidade com os mais rigorosos critérios de segurança. A CBA mantém um sistema robusto de gestão de segurança de barragens (SIGBAR), que inclui monitoramento regular, auditorias externas e fiscalizações por órgãos competentes.

A Companhia Brasileira de Alumínio, com sua abertura de capital em 2021, está comprometida em fornecer alumínio de baixo carbono e promover práticas sustentáveis em seus mercados. Seu compromisso com a segurança de barragens e o envolvimento ativo com as comunidades onde opera são evidências de sua dedicação à responsabilidade corporativa e à preservação do meio ambiente.

Siga a Rádio Muriaé através de nossas redes sociais, clicando nos ícones abaixo: